Em favor das(os) donas(os) de casa e faxineiras(os)

Como sempre disse minha sapientíssima mãedelinha, engenheiros(as), pedreiros(as) e designers de produto devem ser as pessoas desse mundo que mais odeiam suas mães/pais, esposas(os), faxineiras(os); em síntese, todos aqueles que cuidam (ou algum dia cuidaram) da limpeza da casa e de outros espaços de convivência.

Decidi escrever este post no interregno da faxina, entre lavar a cozinha (que está secando) e o banheiro (que está me esperando). Desde que passei a cuidar da limpeza completa do apartamento (só a faxina desbravadora foi terceirizada… esta pode ser uma história para outro dia) tenho apanhado desses dois cômodos onde a lei do amor de engenheiros civis e pedreiros se aplica magistralmente.

Pra colocar o problema em termos visuais: o ralo repele a água!

Não dá pra acreditar!

É como se tivessem feito o ralo o ponto mais alto do piso. Ao invés da água se concentrar sobre ele para ir toda para o esgoto ela é devolvida para a/o cozinha/banheiro tornando o serviço de enxaguar muito mais demorado e cansativo… é um vaivém interminável agravado pelo frio que estou passando molhado de bermuda e camiseta em Curitiba numa tarde nublada de começo de primavera (que está mais para final de inverno😀 – sim, isso muda muita coisa)

No caso do banheiro a situação é mais séria. Além do ralo repelir a água, ele fica separado de 70% (assim, por cima) do que é lavado. O único ralinho fica no box, separado do restante do banheiro pelo trilho. Assim sendo, tenho mais um obstáculo a superar durante o serviço. Não reclamo da água não escapar do box e molhar todo o banheiro, reclamo da economia que fizeram ao não colocar mais um ralo, que mesmo repelindo a água, já ajudaria muito.

Passando para a crítica aos designers de produto, dou um exemplo que também me aflige (e à minha mãe também); o espremedor de alho. Desisti de usá-lo, simplesmente. Uso a faca agora. É interessante que a grande maioria desse produto é ótima para espremer um terço do dente de alho (e às vezes menos) deixando como resto um grande pedaço esmagado que precisará ser picado pra ir pra panela. Como pode um objeto tão simples ser tão mal desenhado! Sem contar que depois pra lavar também é o caos; tendo momentos em que não sobra nenhum pedaço naqueles furinhos e outros em que nem uma escova de aço pode retirá-los…

E os exemplos para ambos os casos são diversos. Espero ter contribuído para uma campanha ou manifesto pela facilitação (sim, existe, adoro substantivos que facilitam nossa vida) dos serviços domésticos e da vida em geral!

PS: Tentei ser o menos sexista possível (tô ouvindo Mika, daí fica assim hehehe… brincadeira, mas tô ouvindo, o cara é bom… meus princípios não mudam conforme o que ouço, não) ao tratar deste assunto que me aflige e também pode afligir você!

Esse post foi publicado em day-by-day, Housekeeping e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Em favor das(os) donas(os) de casa e faxineiras(os)

  1. Celise disse:

    Esse post me lembra o comercial da Oi, das vacas e das calças de uma perna só.
    Realmente, a gente não percebe o quanto as coisas são complicadas, até que apareça uma solução que não se espera.

    Eu tbm não esmago o alho com aquele espremedor cretino. Dá mais trabalho limpar aquela porcaria do que picar o alho.

  2. Celise disse:

    ATUALIZA VÍÍÍTTOOOORRRR ! \o/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s