Moment Cuisine: Risotto pour les profanes

Nesse post vou ensinar a preparar um fácil, barato e delicioso risotto!

Vai ficar mais ou menos assim, mais pra menos do que pra mais

Vai ficar mais ou menos assim, mais pra menos do que pra mais

Fácil: foi muito rápido (em torno de uma hora em todo o processo) e nenhuma habilidade especial foi necessária;

Barato: não vai arroz arborio, ou carnaroli, ou vialone nano (é o agulhinha mesmo, mas tipo 1); não vai vinho, não vai funghi… mas vai alguma coisa sim;

Delicioso: para o meu paladar estava bom, se isso servir como definição.

Ou seja, não é bem um risotto italiano, mas dá para o gasto. Bom, vamos direto aos ingredientes:

  • 1 copo de arroz (eu usei agulhinha, tipo 1, e o copo era de requeijão, daqueles de plástico (bem preciso)… dá uns 200 ml de arroz😀 )
  • 1 litro de água
  • 1 caixinha/lata de ervilhas (200g – drenada)
  • 1 peito de frango com osso
  • 1/2 cebola grande
  • 2 dentes de alho médios
  • molho de tomate (seja ele feito em casa ou pronto)
  • azeite de oliva (esse não precisa ser dos bem comuns)
  • sal
  • cheiro verde desidratado, orégano… ou seja esse tipo de condimento (isso é o que tenho em casa)
  • queijo parmesão ralado

Acho que é isso (pode ser que apareça um elemento não citado na preparação).

Preparação:

A primeira coisa que deve ser feita é resolver o problema do peito de frango. Com uma faquinha, retire toda a pele, as melecas e a gordura (a gente tem que se preocupar com isso, toda a gordura aqui virá do azeite). Você perceberá que não é tão difícil de separar a carne da costela do frango, e vale tudo, as mãos, a faca, é só ir puxando (lembre-se que o frango não pode estar congelado, será vezes mais difícil…). No final você terá na tábua de carne o peito de frango, ou os dois lados separados, ou ainda 4 pedaços no meu caso (2 grandes e 2 menores). É mais fácil que ele fique assim pra retirar o nervo que fica nos pedaços menores (é como uma fita branca, uma pontinha provavelmente estará visível). Retirar o nervo é fácil, vá cortando a carne em pedaços e puxando-os, como se tira carne do espetinho (mas não com a boca, por favor). Limpo o frango e pique-o em pedaços/cubos pequenos. Esse último passo é importante para que absorva o tempero, e fique mais saboroso.

Se você jogou a carcaça do frango fora acaba de cometer um grande erro (NÃÃÃÃÃO!!!). Como é possível observar, entre os ingredientes não se nota nenhuma referência aos famosos cubinhos/sachêzinhos de caldo de frango e você deve ter até pensado… “Minha mãe sempre usa para cozinhar!”, ou “Isso não faz sentido”, ou ainda, “Como pode ser?…”. O que acontece aqui é que você vai juntar um pouco de sal, os condimentos acima citados, um pouco de azeite de oliva, o litro de água e a carcaça para fazer um caldo caseiro, sem conservantes e que aproveita esse pedaço que foi pesado no açougue (e vendido, portanto, como carne de frango) e você jogaria fora🙂 . Deixe a água ferver, a carne vai cozinhar e ficar branca, aproveite esse tempo para picar a metade da cebola e os dentes de alho.

Você já deve ter ouvido algumas dicas para picar cebolas sem chorar: pique debaixo da água corrente (!), encha a boca com água gelada para picar as cebolas (¡a mais estranha que já ouvi!), e por aí vai. Aqui vai a dica definitiva: descasque a cebola, retirando a pele marrom, e guarde-a dentro de um pote tampado na geladeira; quando estiver fria a cebola quase não tem cheiro e você poderá picá-la tranqüilamente.

Jesus, isso está indo longe…

Bom, daí tem o alho (serei breve e imperativo), descasque, esmague com a lateral da faca e pique.

Retire do caldo a carcaça do frango e descarte-a (pode limpar os restinhos da carne e dar para o seu cachorro também, não recomendo que dê os ossos devido ao risco de engasgamento). Acondicione em um vasilhame (sugiro uma jarra com medida) o caldo que você preparou, voltaremos a ele em breve. Na mesma panela coloque um pouco de sal e azeite, a cebola e os dentes de alho devidamente picados. Frite até que fiquem amarelinhos, da cor do óleo. É importante avisar que o fogo deve ser bem baixo, durante todo o preparo do risotto, para que não seja difícil chegar ao ponto certo nem queimar o alho, a cebola e o frango. Coloque na panela os cubinhos de frango e deixe-os fritar. Ele ficarão branquinhos. Não deixe queimar, só precisa ficar cozido.

Agora entra o molho de tomate. Ontem no supermercado os tomates estavam muito feios, não havia meio termo, ou estavam verdes demais para fazer molho ou podres demais para serem consumidos. Daí optei pelo molho pronto, de latinha, do qual utilizei 3 colheres. No final das contas acabamos ficando com os conservantes do molho…

Deixe o frango cozinhar mais um pouco no molho e vá lavando o arroz, sem esquecer de verificar se não tem nada queimando, apesar do fogo baixo. Acrescente as ervilhas drenadas (não é pra colocar aquela água junto, estou avisando) e o arroz lavado (também drenado). Mexa os ingredientes na panela, deixe-os fritar um pouquinho e acrescente o caldo que você preparou (deve ter sobrado uns 750 ml da água, isso é o suficiente para cozinhar o arroz e deixar o risotto úmido, como deve ser).

Hm… uma coisa que esqueci de avisar é que é preciso mexer algumas vezes os ingredientes na panela para que não queimem.

Deixe a panela tampada e o fogo ainda baixo. Lhe sobrará alguns minutos nesse momento, aproveite para lavar a louça, não faça como eu.

Quando você reparar que sobrou pouca água na panela, é hora de começar a mexer o seu risotto e acompanhar o cozimento para desligar na hora certa. O arroz não pode cozinhar demais e o risotto não pode secar (se não isso será uma galinhada); a foto ilustra o ponto certo, mas você pode deixar ficar um pouco menos molhado.

Quando no ponto, apague o fogo e sirva-se polvilhando queijo ralado em cima.

Rende duas porções generosas para pessoas altinhas.

Bon appétit

PS: Esqueci o que ia colocar no PS, acho que era algo engraçado…

Imagem: Wikimédia.

Esse post foi publicado em COMIDAAA!!!, day-by-day e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Moment Cuisine: Risotto pour les profanes

  1. fledge disse:

    Lembrei o PS:

    Demorei mais pra escrever isso do que para preparar o risotto!

  2. fledge disse:

    E tinha mais um PS:
    Por ‘Risotto pour les profanes’ entende-se ‘Risotto para leigos’

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s