o que meus ouvidos vão guardar de 2011…

Mantendo a tradição (cof, foi iniciada no ano passado, cof), aqui vai minha lista despretensiosa e nada especial (pra mim, sim) de recordações musicais de 2011 (que foram lançadas e ouvidas em 2011) em ordem alfabética (só depois eu me recordei que comecei a escrever o texto em outra ordem):

se não quiser, não precisa nem ler o resto do post! ;)

Brite Futures – Baby Rain (mas considere ouvir o álbum inteiro)

Primeira faixa do retorno rebatizado de Natalie Portman’s Shaved Head, Baby Rain é deliciosamente dançante e divertidamente sing-alongy. O álbum, Dark Past é recomendável pra quem se lembra com carinho de Beard Lust, Sophisticated Side Ponytail, Slow Motion Tag Team, Me + Yr Daughter e por aí vai (quem consegue limitar essa lista!? I sure can’t)… Outros momentos brilhantes de Dark Past são Cosmic Horn, Test of Time (feat. Pearl Dragon) e Too Young to Kill (trechinho abaixo), que resume bem o espírito do álbum:

♪ Making a club hit we can all dance to / We don’t give a shit what it’s about / [They say we're too young to kill] / Making a pop song so we can sing along! Sing along!

Azealia Banks – 212

Saindo das letras de conteúdo implícito para o texto (BEM) descritivo, Azealia enche seus ouvidos de c-words, n-words e f-bombs com muita propriedade e credibilidade. 212 é memorável e very empowering (vide refrão abaixo). Empowering especialmente para alguém como eu que só usa palavrões Jesus Certified (i.e. “porcaria”, “pôxa”, “mercadoria” e o famoso “avestruz” <– sofri bullying no colegial por causa desse) e surpreende geral quando deixa vazar algo mais sério #desculpaDeus.

♫ Why procrastinate girl, you got a lot but you just waste all yours and / They’ll forget your name soon, and won’t nobody be to blame but yourself, yeah…

BOOM!

Strange Talk – EP + Sexual Lifestyle

Como é que não está tocando Strange Talk em todo lugar a todo momento? Essa é a pergunta que fica de 2011. Não dá pra escolher uma música do EP, na verdade eu até adiciono Sexual Lifestyle, lançada nos últimos meses, que é maravilhosa; tecladinhos, influência dos 1980’s – o que falta para a dominação mundial? Climbing Walls e Eskimo Boy são amor à primeira escutada (garanto!) e eu muito sugiro para se dançar sozinho ou acompanhado, no carro, no chuveiro (já tentei de inúmeras formas, and they keep delivering it!). O álbum deve sair logo (pelo que postaram hoje no fb), estou bem ansioso :)

♪ Oooh, like a jigsaw, like a jigsaw, like a jigsaw! / Oooh, couldn’t find me, couldn’t find me, couldn’t find me!

Beth Ditto – EP

23 minutos, 4 canções – perfeição numérica (IYKWIM). “Putz, como esse EP é bom!” atende bem à tarefa de explicar o trabalho solo da Péfe Dido (jk). Certamente uma das coisas mais apreciadas por essas minhas orelhas tortas em 2011, Beth foi comigo para o banho, para a cama, para o trabalho e para a faxina várias vezis [/vanessao]. Dimestore Diamond, aguardo notícias suas em 2012!

♫ I was fine at first, now I assume the worst / When I could overhear, the repercussions of a sad discussion, another girl in tears / I could have saved her if I’d only known better, but you so carelessly / Took her apart and put her back together: open heart surgery!

Darren Hayes – Talk Talk Talk

Há muito tempo que não ouvia falar no Darren e eis que aparece esse single pra recobrar as memórias do final dos anos 1990. Quem não tinha uma quedinha pelo Darren e esperava que a professora de inglês ensinasse uma letra do Savage Garden? Quem também não tinha acesso à MTV, era obrigado a assistir clipes no final do programa da Angélica, precisava tomar cuidado pra não perder a hora de ir pra escola e como se já não bastasse tinha que engolir que quase sempre era uma música das SNZ? Pois é!

Talk Talk Talk é super catchy, tem letra e música muito boas e um vídeo bem legal (todo simbólico) – além de alto potencial para ringtone! O single acompanha um cover de Angel da Madonna, que não é nada reductive ;) O álbum completo, Secret Codes & Battleships, tem outras belezinhas do pop australiano recomendáveis como Bloodstained Heart e Black Out the Sun.

♪ I know you keep your silence, I know that secret better than you / Sometimes all the matters of the heart are the chaos and the cowardice that keep us apart / I know you want to shut down, I know you think we’re better alone / Sometimes all the words are unsaid, but you listen to them argue every night in your head.

Kylie Minogue – There Must Be An Angel (Playing With My Heart)

Taí quem não podia ficar fora dessa lista. Esse ano teve Kylie 3D, evento aguardadíssimo atendido por Nat (de acompanhante, ela dormiu), eu e umas outras 10 bills em Campinas. Quem não viu procure ver; apesar do cinema vazio (refletindo o market-share baixo da Kylie no Brasil) o espetáculo é magnífico. O cover de Eurythmics foi pra mim um dos momentos mais felizes do show, ouvido repetidas vezes desde agosto, e fica como lembrança musical de 2011.

♫ La-da-di-da-di-da-di-da, Daa-da, Daa-daaaaa… hehe

Cults – You Know What I Mean

Go Outside é mais conhecida, mas YKWIM tem o meu amor pela auto-identificação com a letra, pelos agudos, pelo refrão marcado, pelas dificuldades de 2011…

♪ Please, please come and save me, tell me what’s wrong with my brain ’cause I seem to have lost it.

Chairlift – Met Before (mas aqui entram também Amanaemonesia e Sidewalk Safari)

Já tinha ouvido Bruises, mas não conhecia Chairlift ainda. Met Before, como comentei anteriormente no fb, é música de invencibilidade de video-game para a vida real (pelo menos é o que faz comigo). Amanaemonesia tem um baixo de arrepiar, letra divertida de cantar, atmosfera super creepy e um vídeo apaixonante (com direito a gerador de caracteres dos anos 1970, coreô esquisita que dá vontade de acompanhar e um retrato que canta) – o que mais se pode pedir?! Por fim, Sidewalk Safari tem esse trecho maravilhoso da letra:

♫ (…) I’m not so good at guns / Poison seems old-fashioned and hired help is no fun! / But I do know how to drive a car faster than a man can run!

Sim, meu caro, o jeito é te atropelar! <3

M83 – Intro + Midnight City

Daquelas coisas que quando começam a tocar meu nariz irrita, a pele arrepia (que começa no meio das costas, cobre os ombros e se espalha para os braços e pernas – sim, tô tendo um arrepio agora e descrevendo pra você!) e os olhos se enchem de lágrimas (juro, por mais pedante que isso tenha soado!), e eu não sei explicar o porquê! Foi o melhor álbum que eu ouvi no ano!

Intro tem os vocais de Zolinha de Jesus, o rare candy que eleva tudo ao próximo nível, que é sucedida por Midnight City! <3

♪ We carry on, carry on / Follow us, we are one!

Florence + The Machine – Spectrum (e aqui também entrariam várias outras)

Outro álbum maravilhoso de 2011. Continuando no arrepio factor, Spectrum é um absurdo plus harpista e temática que muito me interessa! Toda vez que eu escuto eu passo vontade de sair gritando o refrão. Não tem muito o que errar no Ceremonials, ele é repleto de momentos lindos :)

PS: Desculpa que foi a apresentação do X-factor (compensei colocando o vídeo no ponto certo), e que ela tá meio cabrita pra cantar…

Foster The People – Houdini (na verdade era Call It What You Want em primeiro, mas não caberia na folhinha – perdeu quem não continuou lendo)

Vitor precisa aprender a manter as coisas num nível sustentável. Eu não tenho mais energia pra continuar com a brincadeira… Gente, escuta essas coisa (caso não tenha ainda) e vem falar comigo, tá? Brigado! Call It What You Want e Houdini (entre outras) são delícias de se ouvir, ver (I’m talking boy band material!) e dançar (ok, I Would Do Anything For You e Helena Beat podem ser melhores pra dançar, já que Pumped Up Kicks cansou um pouco, né?).

SebastiAn – Embody

- Você quis dizer “Sebastian da C&A”? / – Não last.fm, não é bem esse SebastiAn!

O vídeo é autoexplicativo:

Abraços! Feliz 2012!

Publicado em day-by-day | Deixe um comentário

it’s like christmas every day…

Esta galeria contém 10 imagens.

Galeria | 1 comentário